Lançamento do Relatório de violência contra os povos indígenas no Brasil em 2010

Relatório de violência contra os povos indígenas no BrasilNesta quinta-feira, 30 de junho, às 15h, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) lança o Relatório de Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – dados de 2010. A publicação contém dados, análises e artigos sobre a situação violenta da qual os povos indígenas são vítimas em todo o país. Estarão presentes o presidente do Cimi, dom Erwin Kräutler, o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, a antropóloga e coordenadora da pesquisa, Lúcia Helena Rangel, e o colaborador do Cimi no Amazonas, Egydio Schwade, além de missionários da entidade.

As ocorrências de violências e violações de direitos contra os povos indígenas não cessam. Mais uma vez, e pelo terceiro ano consecutivo, o número de assassinatos registrado chega a 60. Outros 152 indigenas foram ameaçados de morte. Mais de 42 mil sofreram pela falta de assistência à saúde e à educação, entre outras. Foram registrados 33 casos de invasões possessórias e exploração ilegal de recursos naturais disponíveis em terras indígenas. 92 crianças menores de cinco anos morreram vítimas de doenças facilmente tratáveis. Um aumento de 513% se comparado a 2009, quando foram registrados 15 casos, com 15 vítimas. Entre os casos, um triste destaque para a situação desoladora do povo Xavante de Mato Grosso, que perderam 60 crianças das 100 nascidas vivas. Todas vítimas de desnutrição, doenças respiratórias e doenças infecciosas.

Por tudo isso, vale afirmar que a situação de violência contra os indígenas no país continua igual. “Continuam pregados na cruz os indígenas: violentados e assassinadas, expulsos ou fraudados de suas terras ancestrais, reduzidos a párias da sociedade, enxotados como animais, tratados como vagabundos de beira de estrada, ou então confinados em verdadeiros currais humanos, sem mínimas condições de sobrevivência física e muito menos cultural!, afirma dom Erwin.

Metodologia e propósito

O relatório é publicado desde 1993 e é uma importante ferramenta de denúncia das violações dos direitos indígenas garantidos pela Constituição de 1988. A metodologia de pesquisa empregada é a mesma utilizada nos anos anteriores: toma-se como fonte a imprensa escrita e virtual, rádios e veículos alternativos das mais diferentes cidades, bem como os registros sistemáticos efetuados pelas equipes do Cimi espalhadas pelos 11 regionais da entidade. Além disso, as informações provêm de relatórios policiais e do Ministério Público Federal. De acordo com Lúcia, os registros reproduzidos não esgotam todas as ocorrências acontecidas, mas indicam a tendência e as características dos ataques e ameaças que pesam sobre essa população.

Assim, para evitar que a realidade de violência contra estes povos se torne algo banal, o Cimi explicita tais agressões para a população, aos organismos de defesa de direitos humanos – nacionais e internacionais – legisladores, juízes, autoridades. E, como afirma dom Erwin Kräutler, com este relatório o Conselho Indigenista Missionário quer mais uma vez afirmar seu compromisso com os povos indígenas no Brasil, na defesa de sua dignidade e de seus direitos inalienáveis e sagrados.

Serviço:
Lançamento: Relatório de Violência contra Povos Indígenas no Brasil – 2010
Quando: 30 de junho, às 15h
Onde: Sede da CNBB – Setor de Embaixadas Sul Qd. 801 Conjunto B – Brasília/DF
Informações: Cleymenne Cerqueira – 61. 9979-7059/2106-1667
Contato para imprensa internacional: Paul Wolters – 61. 2106-1666 ou 61. 9953-8959

Fontes:
Cimi lança Relatório de violência contra os povos indígenas no Brasil em 2010
Violência contra os povos indígenas: Tudo continua igual!

Anúncios

Sobre isisvalle

New media journalist, digital inclusion researcher and nutritionist to be.
Esse post foi publicado em Português e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s